AC TÓRTORO: MESTRE DE CERIMÔNIA DA ABERTURA DO V SALÃO NACIONAL DE ARTE FOTOGRÁFICA MONOCROMÁTICA DE RIBEIRÃO PRETO-SP -2018.

FOTOS DE LU DEGOBBI

FOTOS DE MEMBROS DO GRUPO AMIGOS DA FOTOGRAFIA.

VÍDEO DO EVENTO – PRODUÇÃO DE DANIEL BITTENCOURT:

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1142155599253098&id=100003760076555

Na noite do dia 6 de janeiro de 2018, no prédio da Secretaria da Cultura de Ribeirão Preto, Alto de São Bento, s/n, aconteceram a abertura e premiações do V Salão Nacional de Arte Fotográfica monocromática de Ribeirão Preto. Um evento muito bonito que reuniu mais de duzentas pessoas na Secretaria da Cultura, no Morro de São Bento.
Foi uma noite inesquecível com cobertura dos fotógrafos: Lu Degobbi, Marcelo Tomei , Marco Pires , Waldomiro Peixoto e Elza Rossato. A decoração magnífica ficou por conta dos artistas Serjada, André e Garbelini.

A premiação por Fotoclube , saiu para os três primeiros lugares :
Primeiro Lugar – Fotoclube Aracoara
Segundo lugar -Clube Foto Amigos de Santos
Terceiro Lugar – Foto Clube do Jaú

Observação: todas as fotos do Salão : https://www.facebook.com/elza.rossato/media_set?set=a.10212898659680034&type=3&pnref=story

Tudo aconteceu de forma harmônica e produtiva, com excelente astral e clima de confraternização entre os amantes da fotografia, obra e graça de uma equipe que sabe fazer as coisas acontecerem, tendo Elza “Fotografia” Rossato à frente, conforme a ela se refere nosso amigo e membro do GAFRP, Antonio Carlos “Cultura” Tórtoro.
Durante o evento também ocorreu a formatura dos alunos do Curso Básico de Fotografia, Iniciação Fotográfica e Filmografia provido pelo Grupo Amigos da Fotografia de Ribeirão Preto.
Prestigiaram o evento, e foram homenageados: o Vereador Rodrigo Simões – representando a Câmara Municipal de Ribeirão Preto, a Secretária da Cultura Isabella Pessotti – representando Duarte Nogueira – Prefeito Municipal, o presidente da OVJ José Carlos Barbosa, os amigos/irmãos fotógrafos Thielo e Marco Pires. Também colegas da ARL- Academia Ribeirãopretana de Letras e ARE- Academia Ribeirão-pretana de Educação : Fernanda Ripamonte e o seu esposo Dr Francisco, Irene Coimbra.
O fotógrafo Rod Tórtoro recebeu o Troféu João Rossato pelo 1º. lugar escolhido pelo Júri Popular desse V Salão.
Lu Degobbi recebeu Troféu de 3o. lugar – categoria Grupo Amigos – digital.
A aluna Vitória Sales representou o Colégio Anchieta em homenagem do Grupo Amigos pelo apoio sempre dado às nossas atividades.
A exposição ficará aberta ao público, no horário comercial, até o dia 31 de janeiro, esperando por todos que gostam de fotografia ou, até mesmo, pelos movidos pela curiosidade: que poderão ser mordidos pela arte do instantâneo que eterniza.
A Cultura de Ribeirão Preto agradece pela sinergia promovida pelos amantes da fotografia.

PALAVRAS DO FOTÓGRAFO WALDOMIRO PEIXOTO EM NOME DO GRUPO AMIGOS DA FOTOGRAFIA

Agradecemos a Deus por todas as coisas que indistintamente nos acontecem. Depois aos parentes e amigos. Agradecemos aos professores do Grupo Amigos da Fotografia e colegas de curso, sem os quais nada, hoje, teria sentido.
Por fim, agradecer a presença de todos que saíram de suas casas hoje e vieram aqui compartilhar conosco este momento de felicidade. Os momentos de partilha em nossas vidas são quase sempre muito especiais. Hoje é, de fato, um dia especial!
Falando de momento, a vida vale pelos momentos que vivemos. E fotografia tem tudo a ver com “momentos”.
Henri Cartier-Bresson, um pintor francês, que se celebrizou como fotógrafo e fotojornalista, tem uma frase famosa sobre isso: “De repente percebi que a fotografia pode fixar a eternidade num momento”.
Ele a pronuncia contemplando a fotografia Três Rapazes no Lago Tanganica, do húngaro Martin Munkácsi, publicada em 1931, mostrando três rapazes pelados e correndo em direção a um lago, no Congo. E este momento foi emblemático para mudar a sua vida e, por que não, a da própria arte de fotografar.
Cartier-Bresson fazia parte de um grupo de pintores que estudavam a Divina Proporção na Pintura, nas imagens em geral e na Natureza. Isso teve forte influência na definição dos consagrados pontos de ouro na fotografia, exatamente onde se registra a maioria dos momentos obsessivamente perseguidos pelos fotógrafos. Desde então, este ponto de ouro continua relevante tecnicamente para considerar a qualidade de uma foto, embora a fotografia-arte transcenda aspectos meramente técnicos, sobressaindo o olhar e a alma do fotógrafo, reunidos e eternizados pelo momento do ‘click”.
Para exemplificar, transcrevemos um trecho de um artigo do próprio C-B, tratando deste tema:
“O olhar do fotógrafo está constantemente avaliando. Um fotógrafo pode captar a coincidência de linhas simplesmente ao mover a cabeça uma fração de milímetro. Pode modificar a perspectiva com um leve dobrar de joelhos. Ao colocar a câmera próximo ou distante do objeto, o fotógrafo pode desenhar um detalhe – ao qual toda a imagem pode ficar subordinada, ainda que tiranize quem faz a foto. De qualquer modo, o fotógrafo compõe a foto praticamente na mesma duração de tempo que leva para apertar o disparador, na velocidade de um ato reflexo.
Algumas vezes acontece de o fotógrafo paralisar, atrasar, esperar para que a cena aconteça. Outras vezes, há a intuição de que todos os elementos da foto estão lá, exceto por um pequeno detalhe. Mas que detalhe? Talvez alguém repentinamente entrando no enquadramento do visor. O fotógrafo, então, acompanha seu movimento através da câmera. Espera, espera e espera, até que finalmente aperta o botão – e então sai com a sensação de que captou algo (embora não saiba exatamente o quê).
Mais tarde, no laboratório, ele faz uma ampliação da foto e procura nela as figuras geométricas que aparecem à análise e o fotógrafo se dá conta, então, de que a foto foi feita no instante decisivo. O fotógrafo instintivamente fixou um padrão geométrico sem o qual a foto estaria sem forma e sem vida.”
Se C-B é uma referência mundial, no Brasil, Sebastião Salgado é uma referência brasileira para o mundo. Nascido em Aymorés, MG, em 1944, ele tornou-se um cidadão do mundo, que representa um novo estágio na consciência fotográfica. Talvez seja ele o fotógrafo social-humanista mais importante de todos os tempos. É dele a fala “”Você não fotografa com sua máquina. Você fotografa com toda sua cultura.” Ele transcendeu em muito os aspectos técnicos da fotografia, porque sua arte transborda a moldura da foto e derrama-se em redemoinhos sob o olhar e sobre a alma de quem a contempla. É impossível ficar indiferente ao sofrimento humano em seus instantâneos!
C-B já afirmava que o fotógrafo tem que alinhar a cabeça, o olho e o coração, ou seja, ele deve colocar na foto toda a força de sua mente, o máximo de agudeza no olhar para captar o momento mágico e todo sentimento possível, seja ele lírico, doce, terno, amargo, revoltado, contestador, social, político, religioso, filosófico, ou meramente casual – ou tudo isso misturado. Foi o que Sebastião Salgado fez ao construir sua obra épica, hoje registrada em vários livros e documentários.
Em Ribeirão Preto há muitos e bons fotógrafos, produzindo documentários, fotojornalismo e arte fotográfica de excelente qualidade. Aqui também a fotografia acontece com força e intensidade. Há muito a ser mostrado!
Para quem quiser uma pequena amostra da importância da fotografia em Ribeirão Preto e região sugerimos as obras “Arquitetura do Passado – Um Olhar sobre Ribeirão Preto”, “Piacevolezza sobre o Santão”, e a série “O Passado Manda Lembrança, edições I, II, III e IV”, esta última editada em 2017 e dada ao público na Feira do Livro, pelo Grupo Amigos da Fotografia. Estas obras sugeridas são apenas janelas para um universo de encantamento e arte, produzidas pelos fotógrafos locais.
Para quem quiser mergulhar num oceano de momentos que só a fotografia pode revelar, o convite está feito. A cultura de Ribeirão Preto agradece. E o Grupo Amigos da Fotografia está à disposição.
Estamos honrados de ter participado do Curso Básico de Fotografia, juntamente com o Curso de Iniciação Fotográfica e Noções Básicas de Filmografia, todos promovidos pelo Grupo Amigos da Fotografia de Ribeirão Preto e representar, neste feliz MOMENTO, nossos colegas.
O Curso Básico de Fotografia, ministrado pelo Grupo Amigos da Fotografia de Ribeirão Preto, teve 10 horas/aula, com noções de equipamentos, características de fotografia, lente, abertura, velocidade, sensibilidade de luz, temperatura de cor, balanço de branco e preto, composição, regra dos terços, forma, textura, linha, espaço e dimensão, em aulas práticas. Em Noções Básicas de Filmografia, tivemos noções de montagem e decupagem de roteiro, captação de imagens em movimento, aproveitamento de luz e sombra, direção geral, direção de fotografia, cinegrafia, figurino, continuidade, locação, making-off e até atuação.
Tivemos oportunidade, inclusive de presenciar dois Concursos Fotográficos, catalogação de fotos, seleção, jurado, classificação e premiação, o que muito nos enriqueceu com informações sobre o universo da fotografia.
Durante tais cursos tivemos oportunidade de conviver com colegas e aprender muito com cada um deles. Cada um com sua personalidade própria revelada nos momentos registrados: a alegria da Mari Ferreira, a franqueza da Tânia Ivo, o jeito reflexivo e quietinho da Rita Lemos, a inquietude da Roseli, a disponibilidade, o bom humor e as atitudes acolhedoras da Professora Elza Rossato, e assim por diante.
Vivemos bons momentos e tudo isso compôs a nossa aprendizagem, porque, como disse Tom Jobim, “é impossível ser feliz sozinho.”

ACADEMIAS, ARE-Academia Ribeirão-pretana de Educação, ARL- ACADEMIA RIBEIRÃOPRETANA DE LETRAS, BIOGRAFIA, Colégio Anchieta, CURRÍCULO, EDUCAÇÃO, FOTOGRAFIA, Fotográfico